quarta-feira, 7 de outubro de 2009

A estreia dElas

Já em casa e uma sensação de tremor por dentro e que quase escandaliza por fora. Elas num tempo irrompido estreiou exatamente à duas horas atrás. O espetáculo: num espaço (adaptado). O triângulo foi posto num palco italiano que de certa forma nos desestabiliza pelo fato do nosso trabalho ser um tanto quanto intimista onde priorizamos o contato direto com aqueles que estão ali, naquele momento, sentados em volta dos três lados. Quarenta pessoas estavam bem próximas, encostadas, outras incontáveis, na platéia escura.
A recepção do público foi gostosa, num jogo de cumplicidade. Hoje foi apenas o início de um período de amadurecimento meu, de Nádia, de Camila, de Marcella e de Marina, num envolvimento nosso com tudo mais que compõe o espetáculo.
Amanhã tem mais, ainda bem!!!
Quero só agradecer a todo o Coletivo Teatro da Margem, á Camila (MARANHÃO), á Marly Magalhães, ao Getúlio, aos nossos colegas de curso e de profissão, aos nossos familiares, a todos aqueles que estão próximos do CTM, enfim, a todos que interferiram e interferem de algum modo no nosso trabalho e nas nossas vidas. Agradecer também ao Projeto Boca de Cena pela oportunidade e confiança.

Um comentário:

Muryel De Zoppa disse...

eu queria mesmo delinear algumas apreensões aqui, acometer uma crítica palpável e eteceteras mas fico no palavrão: vão se fuder!!!!!

que coisa mais linda do cacete, PQP!!!!!!